Deputado Estadual Fábio Ostermann (NOVO/RS) responde nossas perguntas sobre a reforma da previdência

  Fábio Ostermann é Dep. Estadual pelo Novo/RS
Fábio Ostermann, é Deputado Estadual filiado ao Partido NOVO eleito em Rio Grande do Sul.
Ostermann é formado em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), onde também estudou Economia e fundou o Núcleo de Extensão em Direito, Economia e Políticas Públicas (NEDEP).
Mestre em Ciências Sociais, o Deputado foi Coordenador Nacional do Movimento Brasil Livre (MBL) e Diretor Executivo da Fundação Educacional do Partido Social Liberal (PSL).

Nós do Verdade Seja Dita fizemos algumas perguntas ao Fábio sobre a reforma da previdência proposta pelo Governo, eis as suas respostas : 


Qual é o impacto dos gastos da União com a Previdência Social atual na economia do Brasil ?

As despesas previdenciárias correspondem a mais de 53% do orçamento total da União, o que equivale a três vezes o montante investido em educação, saúde e segurança pública somadas (15,86%). O quadro atual impossibilita que se  aumente os investimentos, reduza a carga tributária e faça uma profunda Reforma Federativa que dê condições financeiras para Estados e Municípios prestarem os serviços públicos demandados pela sociedade.



Você entende que é preciso reforma-la ?

Sem dúvida. A Reforma é essencial para ajustar as contas públicas, pôr fim a inúmeros privilégios e garantir espaço orçamentário para a ampliação de investimentos importantes em saúde, educação e segurança. Sem a Reforma, nosso país caminhará para o colapso fiscal.



O que propõe a Reforma em tramite no Congresso ?

Antes de mais nada, a Reforma que tramita no Congresso Nacional tem por objetivo reduzir os danos causados pelos regimes de previdência no orçamento público. Apesar da polêmica, está claro que a Reforma não fará o governo gastar menos com a Previdência, mas sim evitará que o déficit cresça ainda ao longo dos próximos anos. Ainda, é preciso salientar o papel distributivo e de justiça social da proposta, uma vez que ela impõe alíquotas progressivas para os beneficiários do regime próprio (dos servidores), que são justamente aqueles que se aposentam mais cedo e recebem um montante maior durante a aposentadoria.


Por que a reforma precisa ser aprovada ?

Porque nosso orçamento já se tornou peça de ficção: a maior parte dos gastos está sendo drenada para pagar aposentadorias, pensões, salários e benefícios para aqueles que deveriam servir ao cidadão e não se servir deles. Precisamos diminuir o rombo causado por regras injustas e que prejudicam aqueles que menos ganham. Ao garantir a maior potência fiscal possível na Reforma, teremos espaço para aumentar investimentos em infraestrutura e logística, dando mais competitividade para nossa economia crescer, gerar empregos e melhorar as condições de vida de toda a população a longo prazo.




Enviar um comentário

0 Comentários