Opinião | Glenn Greenwald faz um desserviço ao jornalismo


Esperei o advogado e pseudo-jornalista megalomaníaco Glenn Greenwald ser convocado para uma sessão extraordinária na câmara e se explicar sobre as denúncias, frágeis até o momento diga-se de passagem, feitas pelo seu site sobre o ministro Sérgio Moro e procuradores da Lava-Jato e tirar conclusões mais assertivas sobre essa manobra POLÍTICA que a The Intercept Brasil está envolvida.
Aliás, denúncia essa que sequer consegue ter um pleito definido, ora diz pôr em cheque a Operação Lava-Jato, ora diz se tratar de uma suposta articulação para incriminar e tirar o ex-presidente Lula das últimas eleições, ora diz o que todo mundo está cansado de saber : que as frentes de combate à corrupção política se comunicavam afim de preparar a ação contra os criminosos.
Antes de voltar ao caso em questão, eu gostaria de falar mais um pouco, além dos artigos que já publiquei por aqui, sobre o Glenn; e nem vou me debruçar sobre o fato de que sua notoriedade se deve 90% à um desertor do serviço de Segurança Nacional Americana, Edward Snowden, cuja a denúncia se travava justamente sobre a prática de espionagem ilegal, apesar de ter deixado o próprio país vulnerável ao expor diversos documentos roubados da instituição e acabar se asilando em um país conhecido por também praticar espionagem internacional, algo que Glenn está promovendo agora, e 9% da renomada documentarista Laura Poitras, parceira de Glenn na captação de tais denúncias.
O americano acumula em sua carreira uma série de controvérsias sobre suas práticas profissionais, não só no jornalismo, profissão na qual "caiu de pára-quedas", mas também como advogado, vide recentes publicações de internautas que levantaram casos como seus serviços advocatícios gratuitos para um líder nazista.
Fui um dos primeiros a publicar na rede, sua relação com bilionário franco-iraniano progressista Pierre Omidyar, mega empresário dono do Ebay, que financia o partido Democrata nos Estados Unidos e também é dono de uma agência de mídia, da qual a The Intercept de Glenn Greenwald é subsidiada.


Leia o artigo aqui  : https://www.verdadesejadita.com/2019/06/glenn-greenwald-ponta-de-um-iceberg.html

O jornalismo promovido pela The Intercept só ajuda a denegrir a imagem da imprensa, não é prerrogativa do jornalismo investigativo a chantagem.
Ontem durante a comissão na Câmara dos Deputados, Glenn respondeu a Dep. Carla Zambelli que só divulgaria os áudios referidos na denúncia quando estes estiverem "jornalisticamente preparados", curiosa resposta do rapaz, pois estar "jornalisticamente preparado" no metiê do jornalismo seria decupado e/ou editado, seria isso que ele e sua equipe estariam fazendo ? 
Enfim, o que eu sei é que não é a primeira vez que Glenn tenta ganhar a atenção com ameaças, só para provocar o estabilishment e ganhar visibilidade. 
Greenwald é um narcisista que tomou gosto pela popularidade.

Na verdade uma coisa só interessa ao jornalista americano - O Poder.
Ao acusar a Globo de ter participado de uma suposta narrativa para a prisão de Lula em conluio com o então Juiz Sérgio Moro e a equipe da Lava-Jato, o novo "anti-herói" da esquerda brasileira cometeu o "erro crasso" de atacar à quem um dia se aliou e esqueceu que suas artimanhas combinadas, ou a tentativa de combina-las, com a emissora mais poderosa do Brasil poderiam vir à tona.
Em nota, a Rede Globo divulgou toda a tentativa de Glenn em conseguir deles o apoio para a divulgação das denúncias, de forma que conseguisse uma maior credibilidade do que estaria publicando.
Ao ser exigido pela emissora as provas do que ele afirmara em reunião com a direção de jornalismo da casa, Glenn recuou com a mesma técnica de retórica, comum aos advogados, de sugestionar que tinha em mãos algo muito valioso, chegando a dizer aos responsáveis do Editorial da emissora que iriam se arrepender de não ter aceitado a proposta.

As práticas de Glenn dividem opiniões entre jornalistas e cientistas políticos, de diferentes inclinações ideológicas.
Em um artigo escrito pelo professor da Universidade de Illinois (EUA) e Editor Chefe do ARC Digital, Nicholas Grossman, mostra como Greenwald tem ajudado o Presidente Vladmir Puttin.
No texto, Nicholas foca na atuação de Glenn que empresta sua credibilidade, construída de forma indireta por conta do trabalho de outras pessoas da qual citei no começo desse artigo, para negar a narrativa de que o vazamento das comunicações privadas da campanha de Clinton e do Comitê Nacional Democrata, publicado pela Wikileaks, foi uma obra do serviço de inteligência russa, o que teria beneficiado na campanha do presidente Trump.

Veja o artigo original aqui : 
https://arcdigital.media/why-are-internet-radicals-helping-putins-russia-6ff2978b172e

Para Grossman, Glenn é obcecado por fama e poder :

"Eu acho que seu comportamento é principalmente porque ele tem um profundo compromisso com uma visão de mundo anti-establishment e um ego gigante. Ele é auto-engrandecedor e muito teimoso. Então e
le vai em RT e ataca a mídia dos EUA, ele está emprestando sua credibilidade às suas atividades de propaganda[...]mas acho que ele faz isso porque quer estar na TV e porque está obcecado em derrubar o establishment.", comentou Grossman.

Para mim, Glenn não passa de um Mercenário que tomou gosto pelos holofotes e sua imagem está se desgastando cada vez que, em desespero, dá um tiro no escuro para tentar causar um terremoto nos poderes do Estado.
Isso explica as contradições do mesmo, como um homossexual judeu à defesa de um assassino nazista ou como um ganhador do prêmio Pulitzer e do Oscar (de tabela) por denunciar um esquema de espionagem, praticar a espionagem para conseguir suas manchetes e até mesmo as desavenças com colegas e indícios de articulações políticas ilegais, como levantado pelo ex-parlamentar Jean Willys, que citou que Glenn teria costume de "comprar mandatos", em discussão pelo Twitter, enquanto levanta uma ética de imparcialidade e honestidade no âmbito político.

Conclusão, a melhor maneira de lidar com Glenn Greenwald é dando 'corda pra ele se enforcar.'


Enviar um comentário

0 Comentários